Comércio Internacional Americano

EUABlogPode-se afirmar que os EUA são um fundamental motor para o desenvolvimento da economia mundial, as suas políticas expansionistas, permitiram a entrada dos seus produtos noutros mercados, mas em simultâneo, procuraram produtos diferenciados e que lhes acrescentasse valor, nos mercados externos.

É importante salientar que os EUA pertencem à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, aceitando assim uma economia de livre mercado, bem como as regras acordadas entre os estados membros, relativamente à qualidade dos produtos ou até mesmo às condições de produção. Este factor trouxe enormes vantagens e muitas facilidades à entrada de produtos americanos de forma massiva no continente europeu logo após a Segunda Grande Guerra.

Em 2011, apresentaram uma quota de exportações globais muito satisfatória, que rondou os 8,1%, tendo um crescimento face ao período homólogo de 16%, colocando o país em concorrência direta com o mercado chinês e alemão. Nos últimos anos, os EUA foram o maior importador mundial de bens, tendo um quota global de 12,3% no ano de 2011.

A balança comercial americana é tendencialmente deficitária, porém os números não assustam os investidores nem colocam em causa a força da economia. Hoje em dia é ainda possível verificar que a produção de bens americanos não é totalmente feita no seu espaço territorial, a expansão das empresas para outros mercados tornou-as mais competitivas, e com uma resposta global muito mais eficiente.

Balança Comercial Americana Fonte: AICEP

Balança Comercial Americana
Fonte: AICEP

Se forem analisados os principais Clientes de produtos de nacionalidade americana, constata-se que em primeiro lugar está o Canadá, com 19% do total, muito pela sua densidade populacional e posição geográfica privilegiada e seguida vem o mercado mexicano com cerca de 13,3%. Seria difícil o mercado apresentar outros Clientes como principais, uma vez que foi assinado o Tratado Norte –Americano de Livre Comércio entre os EUA, Canadá e México, eliminando assim as barreiras alfandegárias entre os países, tornando assim o processo menos burocrático, trazendo aumentos nas  exportações muito significantes.

No ano de 2011, 63% das exportações americanas destinavam-se aos mercados englobados na OCDE, sendo que menos de 20% foram destinados ao mercado da UE.

Tabela de Principais Clientes Fonte: AICEP

Tabela de Principais Clientes
Fonte: AICEP

Em contra partida, no ano de 2011, cerca de 55% das importações realizadas pela potência eram provenientes da OCDE e 18,1% da China. Se forem analisadas as importações realizadas só ao mercado europeu, pode-se constatar que 17% do total eram provenientes do mesmo, destacando-se países como a Alemanha, Reino Unido, França e Irlanda.

Tabela de Principais Fornecedores Fonte: AICEP

Tabela de Principais Fornecedores
Fonte: AICEP

Se forem analisados os produtos mais exportados para os mercados, pode-se destacar as máquinas e aparelhos mecânicos e elétricos, combustíveis e óleos minerais, veículos automóveis e ainda aeronaves e as suas partes. Por outro lado, as importações no ano de 2011 mostraram uma grande percentagem nos combustíveis e óleos minerais, máquinas e aparelhos mecânicos e elétricos, veículos automóveis e pérolas naturais, cultivadas ou preciosas.

ContactoPretende importar ou exportar para este país?

Peça-me mais informações!