Dados Económicos Chineses

porto_de_shangai_china

Como maior país da Ásia Oriental, e importante impulsionador economico-financeiro das potências mundiais, a China apresenta hoje uma economia moderna de mercado, baseando-se na indústria e nos serviços, aberta a todas as trocas de bens e capitais que a façam continuar a crescer de forma progressiva e constante.

Este crescimento, por ser o que apresenta uma taxa mais elevada no panorama mundial, é tido como vital para o desenvolvimento das trocas comerciais e amadurecimento de mercados parceiros. Sendo que estes facto só são possíveis, porque a China consegue ter um sistema produtivo que alarga em grande escala a oferta mundial, apresentando preços muito mais competitivos que as restantes potências.

O investimento realizado pelo governo chinês resulta não só no seu crescimento económico, mas também no crescimento das outras potências que exportam para o país. Estes produtos exportados são bastante diferentes daqueles que são produzidos no território chinês, uma vez que apresentam uma taxa de qualidade com valores mais elevados.

É errado pensar que a China não sofreu consequências com a crise mundial de 2008, o seu PIB apresentou crescimentos negativos (2008 – 9,6%; 2007 – 14,2%), e o dinheiro investido na economia nacional também teve um decréscimo percentual. Porém, estes valores não assustaram os mercados globais, que continuaram a apostar no desenvolvimento de produtos para o mercado, mas também no investimento sustentado de capitais no mesmo. Assim, em 2010, a China conseguiu recuperar o crescimento positivo do PIB, desta vez 10,3%.

Esta crise nunca colocou em causa a importância económica da potência, mas preocupava o Governo, principalmente no que diz respeito à taxa de inflação. Esta continuava a aumentar devido às tensões económicas, mas também devido ao mau tempo que se fez sentir no ano da crise, sendo que em 2008, a taxa de inflação atingiu os 6%.

O saldo da balança corrente, resultado da balança de bens, balança de serviços, rendimentos e transferências, apresentou também decréscimos entre o ano de 2008 e 2010. Embora sempre com valores superavit, em 2008 o valor era de 436 mil milhões de USD, representando cerca de 9,6% do PIB, já em 2010, esse valor diminui para os 306 mil milhões de USD, ou seja, 5,2% do PIB.

As previsões apontam também para uma tendência de valorização gradual do yuan chinês, face ao dólar americano, demonstrando desta forma o forte crescimento e importância da economia em termos mundiais.

ContactoPretende importar ou exportar para este país?

Peça-me mais informações!