Comércio Internacional Brasileiro

Ao longo dos últimos anos, o Brasil tem assumido um lugar de destaque no que diz respeito ao comércio internacional em termos globais, no ano de 2011 ocupava a 22.ª posição no ranking de exportadores e a 21.ª enquanto importador.

Desde o ano de 2001 que a balança comercial brasileira tem apresentado valores positivos, com subidas bastante acentuadas das importações, mas também das exportações. Embora tenha existido um pequeno decréscimo dos valores em 2009, o país entrou no ano de 2010 a recuperar os números das exportações e importações. Hoje, o Brasil continua a importar mais do que aquilo que exporta, fazendo com que a sua balança comercial apresente valores negativos, sendo então uma boa oportunidade para investir no envio de produtos para o país.

O governo brasileiro tem apostado em medidas que estimulem o crescimento das suas exportações, apresentando nos últimos anos uma nova estratégia de países de atuação. Encontram-se então como países/continentes prioritários ao comércio externo a Ásia, com crescimento de mais de 25%, África, nomeadamente Egito, Argélia, Nigéria e Angola. Embora sejam estes os países a postar no futuro, os países mais importantes relativos à exportação de produtos brasileiros continuam a ser a China, EUA, Argentina, Holanda e Japão.

Tabela Principais ClientesFonte: AICEP

Tabela Principais Clientes
Fonte: AICEP

Atualmente o país tem desinvestido nas exportações para os países da União Europeia e Europa Oriental, MERCOSUL e Médio Oriente, uma vez que os mercados já são explorados por países com produtos mais competitivos.

Na sua maioria, o Brasil exporta 5 grandes grupos de produtos, minérios, combustíveis, grãos, açúcar e maquinaria. Prevê-se ainda que em 2030 o Brasil seja um dos principais exportadores de petróleo, uma vez que foram descobertas recentemente reservas petrolíferas em vários pontos do país.

Relativamente às importações, o principal país continua a ser os EUA, com cerca de 15% de quota de mercado. A China tem igualmente aumentado a sua importância neste mercado, mais especificamente na venda de maquinaria e equipamentos, um vez que os preços são muito mais competitivos do que os produtos semelhantes de produção brasileira. Segue-se a Argentina e a Alemanha, e países da Europa Ocidental, embora com uma quebra acentuada nas vendas. Tal como visto nas exportações, a União Europeia tem perdido muita quota de mercado no Brasil, devido à forte concorrência de produtos da China.

Tabela Principais FornecedoresFonte: AICEP

Tabela Principais Fornecedores
Fonte: AICEP

Os principais produtos importados pelos brasileiros, continuam a ser os combustíveis, óleos minerais e derivados (18,55%), maquinaria (14,90%), máquinas elétricas e suas partes (11,67%), veículos automóveis, tratores e suas partes (10%) e ainda os químicos orgânicos representando cerca de 4,04%.

ContactoPretende importar ou exportar para este país?

Peça-me mais informações!